Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (E.R.P.I.)

Se pretende ser contactado para obter mais informações sobre o Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (E.R.P.I.) preencha o formulário em baixo que iremos entrar em contacto consigo.

Pode consultar mais informações sobre o serviço em baixo.

(*) - Campo obrigatório

Constituem objetivos da estrutura residencial, designadamente, os seguintes:

  1. Proporcionar serviços permanentes e adequados à problemática biopsicossocial das pessoas idosas; 
  2. Contribuir para a estimulação de um processo de envelhecimento ativo; 
  3. Criar condições que permitam preservar e incentivar a relação intrafamiliar; 
  4. Potenciar a integração social.

NORMA 5ª - Princípios de Atuação

A estrutura residencial rege -se pelos seguintes princípios de atuação: 

  1. Qualidade, eficiência, humanização e respeito pela individualidade;
  2. Interdisciplinaridade; 
  3. Avaliação integral das necessidades do residente; 
  4. Promoção e manutenção da funcionalidade e da autonomia;
  5. Participação e corresponsabilização do residente ou representante legal ou familiares, na elaboração do plano individual de cuidados.

NORMA 6ª - Destinatários

  1. A Estrutura Residencial destina-se à habitação de pessoas com 65 ou mais anos, que, por razões familiares, dependência, isolamento, solidão ou insegurança, não podem permanecer na sua residência.
  2. A Estrutura Residencial pode, também, destinar-se a pessoas adultas de idade inferior a 65 anos, em situações de exceção devidamente justificada.
  3. A estrutura residencial destina-se, ainda, a proporcionar alojamento em situações pontuais, decorrentes da ausência, impedimento ou necessidade de descanso do cuidador.

NORMA 7ª - Serviços Prestados

1. A Resposta Social ERPI presta conjunto de atividades e serviços, designadamente:

  • Alimentação adequada às necessidades dos residentes, respeitando as prescrições médicas;
  • Cuidados de higiene pessoal;
  • Tratamento de roupa;
  • Higiene dos espaços;
  • Atividades de animação sociocultural, lúdico-recreativas e ocupacionais que visem contribuir para um clima de relacionamento saudável entre os residentes e para a estimulação e manutenção das suas capacidades físicas e psíquicas;
  • Apoio no desempenho das atividades diárias;
  • Cuidados de enfermagem, bem como o acesso a cuidados de saúde;
  • Administração de fármacos, quando prescritos.

2. A estrutura residencial deve permitir:

  • A convivência social, através do relacionamento entre os residentes e destes com os familiares e amigos, com os cuidadores e com a própria comunidade, de acordo com os seus interesses;
  • A participação dos familiares ou representante legal, no apoio ao residente sempre que possível e desde que este apoio contribua para um maior bem-estar e equilíbrio psicoafectivo do residente. 

3. A estrutura residencial pode, ainda, disponibilizar outro tipo de serviços, visando a melhoria da qualidade de vida do residente, nomeadamente, fisioterapia, hidroterapia, cuidados de imagem e transporte. 

4. A estrutura residencial deve ainda permitir a assistência religiosa, sempre que o residente o solicite, ou, na incapacidade deste, a pedido dos seus familiares ou representante legal.

5. A ERPI assegura ainda outros serviços suplementares, cujo custo é suportado pelo utente e/ou seus descendentes e/ou outros familiares:

  • Despesas em taxas moderadoras, exames de diagnóstico e transporte de ambulância;
  • Aquisição de bens e serviços (por exemplo: medicação)
  • Material de incontinência.

NORMA 7ª - Critérios De Admissão

1. São critérios de admissão na seleção dos utentes abrangidos pelo acordo de cooperação:

  • No âmbito do acordo de cooperação, privilegiar as pessoas ou grupos economicamente mais desfavorecidos, conforme alínea e) do artigo 12º da portaria 196 – A/2015 de 1 de julho.
  • Ausência ou indisponibilidade familiar para assegurar os cuidados básicos;
  • Grau de dependência;
  • Isolamento geográfico;
  • Situação de dependência, que não pode ser gerida noutra resposta social;
  • Idade;
  • A frequência de outras respostas sociais;
  • Ser natural ou residir na freguesia de Almaceda ou limítrofes;
  • Ter familiares, nomeadamente cônjuge, a frequentar a resposta social;

2. São critérios de prioridade fora do acordo são:

  • Data de inscrição – Lista de Espera;
  • Ausência ou indisponibilidade familiar para assegurar os cuidados básicos;
  • Grau de dependência;
  • Isolamento geográfico;
  • Situação de dependência, que não pode ser gerida noutra resposta social;
  • Idade;
  • A frequência de outras respostas sociais;
  • Ser natural ou residir na freguesia de Almaceda ou limítrofes;
  • Ter familiares, nomeadamente cônjuge, a frequentar a resposta social;

3. Em caso de empate, terá prioridade o candidato mais antigo da Lista de Espera do Centro Social Paroquial de Almaceda.

Horários temporariamente suspensos, devido ao COVID-19.

Obrigado pela sua compreensão.